Receba 10%OFF em sua primeira compra com o cupom "PLENA10"

Receba 10%OFF em sua primeira compra com o cupom "PLENA10"

Menopausa precoce: Como identificar, sintomas e causas

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

1. O que é menopausa precoce?

Você sabe o que é a menopausa precoce, quais são os sintomas, complicações e tratamentos? Mulheres com menos de 40 anos precisam prestar atenção no que vamos abordar a seguir, pois são informações de grande relevância para sua saúde e qualidade de vida.

A menopausa representa o fim da idade reprodutiva da mulher e acontece entre os 45 e 55 anos. Mulheres que começam a sentir os sintomas da menopausa antes dos 40 anos fazem parte do grupo que sofre de falência ovariana prematura.

No Brasil, a menopausa precoce acomete 5,5% das mulheres, segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Campinas, e as pessoas deste grupo precisam se atentar a alguns pontos, pois a queda hormonal pode gerar problemas ósseos e cardiovasculares.

Neste texto, vamos explorar os sintomas, complicações, diagnóstico e tratamento da menopausa precoce.

2. O que causa menopausa precoce?

Em média, a mulher brasileira entra na menopausa aos 51 anos, mas entre os 45 e 55 anos é o período indicado por conta da redução natural dos folículos ovarianos.

Há muitos fatores que contribuem para que os ovários parem de liberar óvulos, iniciando assim a queda da produção dos hormônios estrogênio e progesterona.

As causas da menopausa precoce podem ser diversas e incluem fatores genéticos, doenças autoimunes, cirurgias que removem os ovários, radioterapia ou quimioterapia, distúrbios cromossômicos, certas infecções virais e doenças crônicas e muito mais.

A mulher precisa ficar atenta aos sinais do próprio corpo para identificar se ela está entrando no climatério, período que marca a transição entre o período fértil da mulher e a chegada da menopausa.

Os sintomas da menopausa precoce são os mesmos da menopausa, a diferença está na idade da mulher. Podemos citar alguns como ondas de calor, suores noturnos, problemas de sono, secura vaginal, diminuição da libido, alterações de humor, irritabilidade, dor nas articulações, aumento de peso, queda de cabelo e outros.

3. Como identificar se estou entrando na menopausa?

A irregularidade menstrual é um dos primeiros sinais da abordagem da menopausa. Se você começar a notar mudanças no seu ciclo menstrual, como períodos mais curtos ou mais longos.

Também é preciso ficar de olho se o fluxo menstrual está mais leve ou mais pesado, ou intervalos irregulares entre os períodos,  pois isso pode ser um sinal de transição para a menopausa.

As ondas de calor são um sintoma clássico quando falamos de menopausa. Para que você consiga identificar o que é típico desta fase, entenda que é um calor da cintura para cima acompanhado de suor e rubor facial. 

As alterações de humor também indicam mudanças hormonais no corpo da mulher e são fatores importantes na hora de diagnosticar a menopausa precoce.

Por conta das flutuações hormonais, o equilíbrio emocional começa a flutuar, levando a mulher a sofrer de oscilações de humor. Assim, irritabilidade, depressão e ansiedade são alguns dos sentimentos que ficam mais aflorados.

Ao notar um ou mais sintomas, é importante procurar um médico para avaliar sua saúde e então encontrar um diagnóstico.

Exames de sangue podem ser realizados para medir os níveis de hormônios reprodutivos, como o hormônio folículo-estimulante (FSH) e o estradiol. Em casos de dúvida, o médico pode solicitar exames de imagem, como a ultrassonografia transvaginal, para avaliar a reserva ovariana. 

“Ao notar um ou mais sintomas, é importante procurar um

médico para avaliar sua saúde e então encontrar um diagnóstico.”

4. Complicações da menopausa precoce

A menopausa é um período natural na vida da mulher, mas as mudanças causadas pelo fim da ovulação de forma precoce podem gerar complicações diversas.

Podemos listar alguns problemas causados nos casos de menopausa precoce e reforçamos a necessidade da mulher procurar um médico assim que identificar os primeiros sintomas.

Risco aumentado de doenças cardiovasculares: A diminuição dos níveis de estrogênio durante a menopausa precoce está associada a um maior risco de doenças cardiovasculares, como acidente vascular cerebral (AVC) e aumento da pressão arterial. Isso acontece porque o estrogênio desempenha um papel protetor no sistema cardiovascular, e a sua diminuição pode afetar negativamente a saúde do coração.

Osteoporose: A deficiência de estrogênio durante a menopausa precoce aumenta o risco de osteoporose, uma condição caracterizada pela perda de massa óssea e fragilidade óssea. Isso pode levar a um maior risco de fraturas.

Alterações metabólica: Quem pára de menstruar muito cedo pode sofrer alterações metabólicas como aumento da resistência à insulina, ganho de peso e alterações na distribuição de gordura corporal. Com isso, aumenta-se as chances de desenvolver diabetes tipo 2 e síndrome metabólica.

Impacto na saúde mental: A menopausa precoce pode ter um impacto significativo na saúde mental das mulheres. As mudanças hormonais podem contribuir para sintomas de depressão, ansiedade, irritabilidade e alterações de humor. 

Infertilidade: A perda da função ovariana antes dos 40 anos gera a infertilidade, nesses casos, as mulheres que desejam engravidar podem enfrentar desafios significativos para conceber. Hoje a medicina oferece algumas alternativas, sendo o mais indicado dentre eles a fertilização in vitro com óvulos doados.

**Mais informações sobre menopausa em Plenapausa – faça sua avaliação gratuita e saiba em qual fase da menopausa você está e o nível de sintomas!

** Aproveite também a matéria que contruimos para a Revista Manequim, trazendo 3 dicas de Cuidados com a pele na madura – confira a matéria AQUI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 10 =

Veja também:

Carrinho de compras

Entrar

Ainda não tem conta?

Comece a digitar para ver os produtos que procura.