Receba 10%OFF em sua primeira compra com o cupom "PLENA10"

Receba 10%OFF em sua primeira compra com o cupom "PLENA10"

Dores articulares na menopausa: Por que eu sinto dor? Como tratar?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Dores articulares na menopausa é um dos sintomas mais comuns nas mulheres brasileiras. É isso que indica a pesquisa realizada pelo PlenaPausa com mais de 7 mil mulheres (dados de agosto de 2021 a agosto de 2023).

Pelo menos 79% das entrevistadas sentem dores nas articulações ou dores musculares. Assim, este sintoma se torna o sexto mais frequente entre as brasileiras que estão em alguma fase do climatério. Os demais sintomas mais comuns são: Falta de energia (90%), alteração de humor (88%), dificuldade para dormir (84%), depressão ou ansiedade (84%) e falta de libido (81%).

Cada mulher apresenta sintomas em intensidade diferente, por isso a consulta com um médico é tão importante para quem já tem mais de 40 anos e começou a perceber os sintomas da menopausa se manifestando no corpo.

Para entender a diferença entre as dores articulares na menopausa de outras, saiba que as dores articulares da menopausa geralmente pioram pela manhã e diminui à medida que as articulações se relaxam com as atividades do dia. 

Muitas mulheres se queixam de dores nas seguintes partes do corpo: costas, pescoço, mandíbula, ombros e cotovelos. Pulsos e dedos também podem ser afetados. 

A dor pode ser acompanhada de rigidez, inchaço ou até mesmo dor aguda que percorre as costas, braços e pernas. Também pode acontecer da mulher sentir uma sensação de queimação no corpo. Se identificou? Então aprenda a seguir como tratar!

Por que sentimos dores nas articulações na menopausa?

Assim como os outros sintomas, as dores articulares na menopausa também são causadas pelas alterações hormonais. 

Isso acontece pelo seguinte motivo: existem receptores de estrogênio nas articulações. Este hormônio protege os ossos e ajuda a manter baixa a inflamação das articulações. 

Durante a perimenopausa, que é o primeiro estágio da menopausa, os níveis de estrogênio diminuem e as articulações podem inchar e ficar doloridas.

A diminuição dos níveis de estrogênio também contribui para a perda de densidade óssea. Outro fator que gera dor articular, pois a redução da massa óssea deixa os ossos mais fracos e quebradiços, desenvolvendo então a osteoporose.

Outra informação sobre esta questão é que a redução de estrogênio também gera inflamação das articulações, um problema chamado osteoartrite. 

Como tratar as dores articulares na menopausa?

O doutor Fabrício Buzatto, médico do Esporte e fisiatra, falou mais sobre a questão das dores articulares na menopausa durante uma live no Instagram do PlenaPausa. Assista aqui.

Segundo ele, a dor articular é frequente na sociedade, mas as mulheres sofrem mais com dores crônicas. Por isso, além da questão da menopausa, há outros fatores que aumentam as chances das mulheres sentirem dores do corpo.

Buzatto também citou que o sedentarismo é um dos maiores causadores desse quadro crônico de dores, por isso, ele indica a prática de exercícios físicos.

“O exercício físico é o melhor tratamento que existe para dor crônica”, ensina o profissional que também fala sobre exercícios aeróbicos com uma postura: os exercícios precisam ser de alta intensidade.

O médico ensina também que a musculação é um tipo de exercício para gerar força e a caminhada ou corrida visam acelerar os batimentos cardíacos. Outro dado: pesquisas mostram que a musculação gera hormônios que trazem benefícios para o corpo e para a mente. “A musculação é imprescindível para pacientes com mais de 40 anos”, completa o especialista.

Falando sobre tratamentos para dores articulares na menopausa, Buzatto cita as pesquisas recentes que um profissional fisiatra poderá ajudar essa mulher com sintomas de dores fortes do corpo por conta da queda de estrogênio.

Mas, antes de procurar qualquer tratamento, é necessário passar em consulta com o médico para poder fazer exames e então descartar qualquer problema de saúde que possa estar relacionado às dores.

Caminho para prevenção de doenças

dores articulares na menopausa
Márcia Cunha e doutor Fabrício Buzatto

Durante esta conversa com Márcia Cunha Shimizu, o doutor falou sobre a importância de prevenir essas dores articulares na menopausa através da atividade física, alimentação saudável e melhorar a qualidade do sono.

O especialista incentivou ainda que as mulheres comecem o quanto antes a adotar hábitos saudáveis, pois fará diferença na melhora das dores crônicas.

Para quem não sabe, o exercício gera mais energia e flexibilidade nas articulações, alivia a depressão e combate doenças cardíacas. Ele inibe o ganho de peso e a insônia que geralmente acompanham a menopausa.

Quer saber mais sobre dores articulares na menopausa e outros sintomas dessa fase? Acesse o nosso site e se mantenha atualizada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 7 =

Veja também:

Carrinho de compras

Entrar

Ainda não tem conta?

Comece a digitar para ver os produtos que procura.