Receba 10%OFF em sua primeira compra com o cupom "PLENA10"

Receba 10%OFF em sua primeira compra com o cupom "PLENA10"

Saúde intestinal e menopausa, qual é a relação?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Talvez você não saiba, mas a saúde intestinal e a menopausa possuem muitas ligações. Para falar sobre este assunto, Márcia Cunha, CEO da PlenaPausa, conversou com a coloproctologista Dra. Aline Celeghini.

Neste bate-papo, vários assuntos foram tratados, entre eles como a mudança hormonal na vida de uma mulher pode interferir no intestino, afetando assim a saúde como um todo.

Durante a menopausa, os níveis hormonais, especialmente de estrogênio, diminuem. Isso pode afetar o equilíbrio das bactérias benéficas no intestino, levando a problemas como constipação, diarreia ou síndrome do intestino irritável (SII).

É muito importante que a mulher fique atenta aos sinais do corpo, pois o intestino dará sinais de que há algo diferente e acender um alerta para que você procure um médico especialista.

“Nos mulheres, ao longo da nossa vida, temos uma variação hormonal. Então, é frequente que, durante o nosso ciclo, a gente tenha períodos de prisão de ventre e períodos de diarreia”, ensina a doutora. 

A redução da progesterona é o que influencia o funcionamento do intestino, por isso, a saúde intestinal e a menopausa estão sim ligadas.

O ressecamento do intestino é um dos sinais mais comuns, mas não é só isso. A musculatura do assoalho pélvico também perde força, isso faz com que a mulher na menopausa tenha menos força para evacuar, levando ao surgimento de fissuras anais e hemorroidas.

Como melhorar a saúde intestinal na menopausa

saúde intestinal Aline Celeghini
Dra Aline Celeghini – médica coloproctologista

Os sintomas são vários e a mulher precisa ficar atenta ao seu corpo, percebendo se está evacuando mais ou menos do que antes, se sente dor, se há sangramentos.

Exames como a colonoscopia são essenciais e todas as pessoas com mais de 40 anos precisam fazer para descartar qualquer problema grave como nódulos, pólipos e até mesmo câncer de intestino.

Além dele, também é interessante fazer exames para acompanhar a musculatura do assoalho pélvico, que muitas vezes pode estar enfraquecido, trazendo problemas na evacuação. Esse pode ser um dos problemas causadores da constipação, exigindo muito esforço para evacuar.

Mas não é só isso, é preciso investir em uma alimentação saudável rica em fibras e também aumentar o consumo de água. Esses dois elementos são importantes para a formação do bolo fecal.

A prática da atividade física também é interessante, como diz a  coloproctologista Dra. Aline Celeghini que citou em nossa live outros exames importantes que toda mulher deve fazer para mapear a saúde intestinal.

Quando a mulher descobre que tem problemas no músculo da pelve, tratamentos como a fisioterapia pélvica pode ser a melhor indicação, garantindo a melhora na saúde intestinal que na menopausa acaba sendo prejudicada.

“Muitas vezes conseguimos evitar a cirurgia só com a fisioterapia pélvica”, disse a médica nessa conversa com a Márcia Cunha.

Quais são os sinais de que há problema na saúde intestinal?

Aline Celeghini aponta alguns sinais de que a saúde intestinal precisa de atenção e a mulher que está no climatério ou menopausa precisa ficar atenta e buscar um especialista para evitar grandes problemas na saúde.

“A saúde intestinal tem que ser tratada de forma preventiva. E não esperar que a doença aconteça”, ensina. “O primeiro ponto é entender que não precisamos ir ao banheiro todos os dias. Podemos ficar até três dias sem ir ao banheiro, desde que eu não tenha que fazer esforço para evacuar ou fazer alguma manobra, como se movimentar no vaso, ou fezes ressecadas”, completa.

Outros sinais que devem despertar um alerta: Fazer muito esforço para evacuar; ficar muito tempo sentada no vaso; não ter vontade de evacuar; e evacuar, mas sentir que foi incompleto.

O alerta é para que a constipação se torne uma incontinência fecal, isso é, começar a não ter controle e evacuar sem sentir, assim como acontece com a incontinência urinária.

Esses sintomas estão totalmente ligados à musculatura pélvica e um médico deve ser consultado para poder acompanhar, diagnosticar e indicar um tratamento para melhorar a saúde intestinal da mulher com mais de 40 anos. 

Muitos outros assuntos foram tratados nessa conversa enriquecedora com a doutora nossa CEO. Se você quer saber mais sobre saúde intestinal e menopausa, constipação, queda hormonal, saúde pélvica e outros, acesse agora mesmo nosso Instagram porque a live ficou salva! Clique aqui e assista!

Aproveite para seguir nossa página no Instagram e acompanhar a série de live que fizemos ao longo de 2023 com profissionais da saúde de diferentes especialidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − dezessete =

Veja também:

Carrinho de compras

Entrar

Ainda não tem conta?

Comece a digitar para ver os produtos que procura.